Esterilização: Mitos e Verdades

A esterilização dos animais é um procedimento médico-cirúrgico de grande importância em medicina veterinária. Para além da função anticoncecional e prevenção de cios nas fêmeas, tem também como objetivo a prevenção de vários problemas de saúde a nível do sistema reprodutor.

A esterilização das fêmeas consiste na remoção dos ovários e útero, processo designado por ovarihisterectomia ou OVH. No caso dos machos, a cirurgia consiste na remoção dos testículos (orquiectomia ou castração). Ambos os procedimentos são efetuados sob anestesia geral e sujeitos a um rigoroso controlo de dor, devendo sempre ser efetuada uma avaliação prévia do animal, de modo a garantir o seu correto estado de saúde e, assim, uma maior segurança anestésica.

Apesar de ser um procedimento rotineiro, persistem, contudo, alguns mitos e inverdades associados a este tipo de procedimento, que tentaremos esclarecer de seguida.

 

1 . As cadelas devem ter pelo menos uma ninhada antes de serem esterilizadas.

Falso. Ficar gestante uma ou mais vezes antes da esterilização não traz qualquer tipo de benefício para a saúde da cadela/gata. Pelo contrário, em determinadas raças, a gravidez e o parto poderão acarretar riscos para a mãe.

2 . O meu animal vai sofrer com o procedimento.

Falso. A esterilização é um procedimento realizado sob anestesia geral e rigoroso controlo de dor. No pós-cirúrgico, é sempre assegurada a analgesia, através de terapia indicada pelo médico veterinário. A recuperação total é conseguida em menos de uma semana e, durante esse período, o animal tem uma vida normal.

3 . Os animais engordam depois de esterilizados.

Verdade. Depois da esterilização, o metabolismo basal do organismo baixa, o que se traduz numa diminuição do gasto de energia. Deste modo, está indicada a mudança de alimentação, passando para uma ração específica para animal esterilizado. Estas rações são mais adequadas à nova condição fisiológica, aportando um menor teor calórico.

4 . Os animais esterilizados são menos ativos e não brincam tanto.

Falso. O que muitas pessoas notam é que, no caso dos gatos, eles tendem a ficar mais “caseiros”, uma vez que deixam de tentar fugir de casa na altura em que as fêmeas estão em cio. Se as rotinas de passeio e brincadeira se mantiverem inalteradas, não é a esterilização que vai alterar esse tipo de comportamentos.

 

 

5 . A toma da pílula não tem nenhum efeito secundário nas cadelas e nas gatas.

Falso. Infelizmente, a maioria das pessoas não está ciente do quão nefastos são os anticoncecionais (pílulas) nas cadelas e gatas. Apesar de prevenirem os cios e as gravidezes (se administrados nas doses e com a periodicidade correta), as pílulas aumentam muito o risco de desenvolvimento de tumores de mama e infeções do útero.

6 . É muito caro.

Falso. Se forem somadas as quantias que vulgarmente os proprietários gastam na administração de pílulas, rapidamente se atinge o valor da esterilização, sem os riscos associados. Além disso, o valor da cirurgia será largamente compensado em futuros gastos, como problemas de saúde em animais não castrados, alimentação e cuidados de crias, etc.

Daniela Moreira – Médica Veterinária