Medicina Veterinária Preventiva

Os animais de companhia têm uma longevidade cada vez maior e com maior qualidade de vida. Esta realidade deve-se a vários fatores, mas a sua base assenta numa medicina preventiva de qualidade. A medicina preventiva tem um papel preponderante na manutenção do estado de saúde e bem-estar dos animais, à semelhança do que acontece na medicina humana. Consiste em prestar cuidados básicos aos animais de forma a prevenir o aparecimento de determinadas patologias, ao invés de prestar cuidados unicamente quando a doença já estiver instalada.

Quando falamos de medicina preventiva, estamos a referir-nos a cuidados como vacinação, desparasitação interna e externa regular, nutrição de qualidade, check-ups de saúde regulares, etc. Os cuidados que cada animal exige variam consoante a espécie, raça, idade e historial clínico, devendo sempre ser ajustados a cada caso em particular.

A vacinação é fundamental para prevenir o desenvolvimento de diversas doenças infeciosas, algumas delas potencialmente fatais. Cães e gatos devem ser vacinados a partir dos dois meses de idade. Os cães devem ser vacinados contra doenças como esgana, parvovirose, leptospirose, hepatite infeciosa canina e tosse do canil, para além da vacina contra a raiva (obrigatória por lei nos cães, a par da identificação eletrónica). Após a primovacinação (conjunto de vacinas iniciais administradas aos cachorros/gatinhos), é necessária uma vacinação anual, durante toda a vida do animal (salvo indicação médica em contrário). No caso dos gatos, as vacinas existentes conferem proteção contra calicivirose, herpesvirose e panleucopénia. Os gatos que têm acesso ao exterior devem também ser vacinados contra a Leucemia Felina. Também a desparasitação deve ser completa e regular, devendo ocorrer a cada 4 meses. Os animais estão muito mais predispostos a entrarem em contacto com agentes parasitários (internos e/ou externos), sendo que alguns deles podem ser transmissíveis aos seres humanos.

É, no entanto, importante que os animais não visitem o médico veterinário unicamente para a consulta anual de vacinação, sobretudo em animais a partir dos 6-7 anos, uma vez que há imensas patologias que são “silenciosas”, em que os sinais clínicos são muito ligeiros e facilmente passam despercebidos aos proprietários.

Em medicina veterinária acreditamos, cada vez mais, que a medicina preventiva é o segredo da longevidade.

Daniela Moreira – Médica Veterinária