Cuidados com o frio

Com a chegada do tempo mais frio, é muito importante redobrarmos os cuidados a ter com os nossos animais de estimação, sobretudo se eles vivem no exterior. As temperaturas baixas que já se fazem sentir são igualmente desconfortáveis para os animais e a sua camada de pelo não é suficiente, na maioria dos casos, para os proteger.

Apesar de haver raças que possuem uma camada de pelo bastante densa (como, por exemplo, o Husky Siberiano), há outras raças, com o pelo mais fino ou curto, que podem sofrer mais durante o Inverno.

Devemos, pois, tomar medidas extra nesta altura do ano, de modo a minimizar os efeitos secundários do frio, não só a nível de bem-estar, mas também a nível do estado físico e de saúde.

  • Mantenha o seu animal, se possível, no interior da habitação ou num outro local que seja seco, quente e confortável. Os animais que vivem permanentemente no exterior deverão ser alvo de uma atenção redobrada.
  • Evite que o seu animal fique com o pelo molhado. Se isso acontecer, seque-o bem com a ajuda de uma toalha e/ou secador.
  • Tenha especial atenção às fontes de calor comummente utilizadas (aquecedores, lareiras, salamandras). Verifique sempre se são seguras e que não há risco de provocarem queimaduras nos animais.
  • Alguns animais, principalmente os gatos, procuram os motores dos gatos para se abrigarem, por ser um local mais quente. Confirme sempre antes de arrancar com o carro.
  • Os animais pediátricos e os mais idosos sofrem particularmente com a estação mais fria. Nestes últimos, o frio agudiza os sintomas de doenças articulares ou ortopédicas, pelo que deve ser feito um acompanhamento médico-veterinário ainda mais cuidadoso nestes casos.

Atuando preventivamente, conseguimos evitar muitos problemas causados pelas temperaturas demasiado baixas. Nunca se esqueça: se está demasiado frio para si, provavelmente, também o estará para o seu animal!

Daniela Moreira, MV

Animavet – Clínica Veterinária de Lousada